Namoradas clube social

O Namoro em Portugal o seu site de namoro online para quem procura namoro em Portugal, Encontre agora o seu namorado ou namorada, comece agora um namoro virtual com milhares de homens e mulheres que procuram namoro junte-se a eles fale online no Namoro em Portugal, Site para quem procura namoro na internet. Clube da Maturidade. O Site de Relacionamentos para Maduros com Maisde50 anos. Namoradasfofos.com pop-ups are a social engineering attack that attempts to deceive users into signing up for its push notifications so that they can send out unwanted ads straight to your desktop. These Namoradasfofos.com pop-up ads are caused either by destructive ads on the websites you go to or adware. This guide was written to assist… Girlfriend Social is a website that connects women with new female friendships. This website is for Ladies only, who just like you, are looking to make platonic women friendships. Inside women can make new friends with fabulous ladies in a safe and friendly environment. If you are feeling lonely, bored, Assistir a episódios inteiros de séries de TV online gratuitos O Clube das Ex-Namoradas - 구여친클럽 e com legendas. Legendado em Arabic, German, Greek, English, Spanish, French, Indonesian, Italian, Japanese, Polish, Romanian, Tagalog, Turkish, Vietnamese FeedClub é o site que vai deixar o seu feed diário com o que há de mais viral nas redes sociais. Faça parte! Entre nesse clube. Book privado - Em busca de algo mais exclusivo? Encontre as mais Bonitas e Selecionadas modelos para Eventos e Presença Vip Chris, Tracy, Linda, & the Dublin Ladies Social Club Leadership Team PS- We welcome members of all ages, but please be aware that most of our members are in their 30s-40s, and our events are planned to target members of this age bracket. Please provide both a NAME and PHOTO when you apply to join. We do screen our applications. Quem está no Namoro Online? Seja você é um solteiro ou solteira de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte ou de qualquer lugar do Brasil, em nosso site de encontros você tem a oportunidade de começar uma nova amizade, bater papo pelo nosso chat de namoro e conhecer gente interessante que também busca alguém como você. Aqui você encontra solteiros que estão em busca de novas ... Social Created by Bruno Monteiro • Updated On: October 9, 2011 Lugares para sair com os amigos, namoradas, Pai , Mãe ou seja, sair com as pessoas que curtem estar com você :3

Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte III – A PREPARAÇÃO INTRODUÇÃO pt 5

2020.07.23 10:20 diplohora Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte III – A PREPARAÇÃO INTRODUÇÃO pt 5

A grande maioria das pessoas com quem já conversei disse que precisa tirar um dia por semana (ou, ao menos, um período de um dos dias da semana), para relaxar. Acho muito válido e recomendo que, se você for um desses, não abra mão desse momento, mesmo às vésperas das provas. Eu nunca senti necessidade extrema de descanso, pois nunca me estressei ou fiquei extremamente exaurido com os estudos, exceto nas últimas semanas do concurso, durante a terceira fase, mas aí já estava quase acabando mesmo, e eu não tinha muito tempo a perder. Estudava todos os dias da semana, o dia todo. Deixei livres apenas os sábados à noite para minha namorada e para eventos sociais (isso até a segunda fase do concurso; depois disso, nem vida social eu tinha mais), e ficava um pouco à toa no domingo, mas estudava uma coisa ou outra. Às vésperas das provas, dez minutos antes de começar a prova, estava estudando, revisando, decorando. Não acho que isso seja bom ou ruim, vai do ritmo de cada um, e não forçar é essencial, para não ser vencido pelo cansaço. Muita gente fica bastante estressada e cansada nas semanas anteriores às provas. Acho que é preciso cuidado apenas para não exagerar no ritmo. Se não der tempo de estudar ou de revisar tudo o que deveria ou gostaria, bem-vindo ao clube. Faça o que estiver ao seu alcance. Deixe o resto com sua memória e com a sorte.
📷Se seu rendimento variar muito de uma semana para a outra, não se assuste. Eu costumava alternar semanas produtivas e semanas improdutivas com certa regularidade. Quando eu sentia que começava a ficar cansado da matéria e a me dispersar facilmente, mudava os estudos de alguma das seguintes formas: mudava a matéria que estava estudando, fazia exercícios e provas anteriores, relia algumas anotações etc. Vi muitas entrevistas de chanceleres, de chefes de Estado, de acadêmicos na internet. Uma entrevista que vi, aliás, foi-me muito útil em uma questão da prova de terceira fase de Política Internacional (entrevista da embaixadora Maria Luiza Viotti sobre a resolução 1973 do Conselho de Segurança, sobre a situação na Líbia). Há muitos documentários, programas (fica a sugestão do programa Painel, da Globo News; os vídeos são publicados na internet, semanalmente aulas virtuais e coisas afins na internet. O YouTube, alguns blogs e comunidades são ótimas fontes em potencial de “estudos alternativos”.
Com relação aos estudos, tenha muito cuidado com as indicações que você vê por aí. Já vi blog de gente que se prepara para o CACD, mas é completamente desorientada, faz indicações de livros inúteis para o concurso e tudo mais. Ponha isto na cabeça: não interessa o que é bom, tradicional e famoso e o que não é; o que importa, mesmo, é o que cai e o que não cai, ponto. Você já viu cair qualquer coisa parecida com Darcy Ribeiro, de Sergio Buarque de Holanda ou de Gilberto Freyre em questão de História do Brasil? Então para quê lê-los? “Ah, mas pode cair na segunda fase”. Em primeiro lugar, não há mais literatura obrigatória para a segunda fase (pelo menos foi assim em 2011). Em segundo lugar, mesmo se cair, os professores de Redação do cursinho falam tudo o que você precisa saber desses autores, então não perca tempo com isso (não é porque esses livros são ruins ou inúteis para conhecimentos gerais da vida; pelo contrário, mas a utilidade prática de sua leitura para o CACD é muito reduzida). Recomendo, no máximo, um resumo curto dessas obras. Mesmo assim, acho perda de tempo, se você for estudar para a primeira ou para a terceira fase. Ler coisas desnecessárias é jogar tempo no lixo, o que pode custar-lhe a aprovação. Seja pragmático sempre. Essa foi minha “filosofia de estudos” para o CACD.
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2019.01.11 15:41 Dimitri_Vladvostok O caçador de segredos [longo e bastante amador]

Eu quero fazer uma confissão. Não tenho ninguém que seja elegível a ouvir o que tenho a dizer, por isso vou jogar esse relato no confins da internet anônima antes que eu finalmente deixe de existir...o que não é de tudo ruim.
Tenho um dom, algo que você já deve ter visto ou ouvido falar de alguma forma similar, e provavelmente era falso. Mas comigo é verdade, infelizmente. Sabe aquele negócio de enxergar as ‘’auras’’ das pessoas? Pois então, eu não vejo auras, mas as ‘’camadas’’ delas. Vou explicar melhor. Cada pessoa tem suas ‘’informações’’ guardadas dentro dela. Essas informações são sua história de vida, fraquezas, qualidades, gostos, desgostos, segredos, memórias, sentimentos, etc. Cada uma dessas informações tem um certo grau de confidencialidade, e são divididas entre camadas, onde as coisas mais superficiais e ‘’visíveis’’ ficam na camada mais externa, e os segredos e características mais profundas ficam nas camadas internas. ‘’Pessoas são como cebolas’’ é o que costumo dizer, graças a isso.
Durante a vida conhecemos uma quantidade incontável de pessoas, e cada uma delas sabem uma certa quantidade sobre você, e vice versa. Cada uma sabe até uma certa camada da sua pessoa, e você, conhece diferentes camadas de diferentes pessoas, geralmente quanto mais próximo, mais profundo. A questão é que consigo ver isso no mundo real, de forma telegrafada, (agora que domino essa habilidade) no momento que quiser. Mas não pense que isso é algo bom não, é exatamente por causa disso que estou escrevendo esse texto, e contando o que aconteceu.
Desde que comecei a sair da adolescência e entrar para a vida adulta tive muito empenho em ajudar os outros e ser gentil, me faz me sentir útil aos outros, mais vivo. Talvez porque nunca experimentei esses valores durante a infância, mas isso não vem ao caso. É um episódio que ficou para trás, e não vou desenterrar ele. Graças a essa boa atitude, conheci muita gente, e lentamente graças a algumas dessas pessoas fui perdendo minha timidez. Me tornei um bom ouvinte, aprendi a conversar e ser uma pessoa mais adorável de se ter perto. Li vários livros sobre esse tema, e a coisa mais importante que aprendi foi que a coisa que todo ser humano mais anseia é a apreciação. Todo mundo quer ser apreciado, ouvido, gostado pelos outros. A sensação de ser importante é como uma droga, e nós alimentamos os outros com ela por meio de conversa e linguagem corporal. Existem diversos pequenos sinais (visíveis e subconscientes) que lhe mostram que alguém está interessado no que você está dizendo ou fazendo, sendo um ouvinte ativo, pela postura amistosa e interessada, no olhar.
Por entender isso, passei a virar parceiro de conversa de muita gente. Muitas vezes falava com alguém que considerava somente um mero colega, aquele que você se dá bem mas não para chamar no aniversário, e essa pessoa começa a contar sobre sua vida ou algum problema, algo pessoal. Então eu entro em um estado de ‘’woah porque ele tá falando isso?’’ e tento meu melhor para ajudar.
Quando completei meus 18 anos algo mudou, um dia qualquer eu acordei com a visão toda embaçada, pensei ter ficado parcialmente cego ou algo do tipo, depois de um certo pânico tudo voltou ao normal. Mas eu estava sozinho em casa aquele dia, minha família havia ido viajar a negócios e só voltava no fim de semana. Nessas horas meu contato humano é bem escasso, gosto de ficar em casa sozinho fazendo tudo que dá na telha, com o silêncio e somente os sons que eu mesmo produzo. Quando saí na rua, já estava vendo as pessoas daquela forma: No peito de cada um havia um círculo, como se estivesse pintado em seu corpo. Claro que inicialmente foi um choque, apesar de ler um pouco sobre misticismo e pessoas com ‘’dons’’ não levava isso completamente a sério. Saí na rua e comecei a observar as pessoas, e todas tinham esse padrão. Até que encontrei um amigo no caminho, e ele era diferente. Haviam três círculos, cada um após o anterior um pouco mais para dentro e menor. Fiquei olhando pra aquilo feito um bobo a ponto de nem me lembrar de cumprimenta-lo, até que voltei a realidade quando o mesmo me chamou alegremente para dar oi. Voltei pra casa, pesquisei sobre isso, nada. Nem nos fóruns mais malucos onde lunáticos claramente inventam superpoderes e acontecimentos havia algo sequer similar a isso.
Dias depois, quando encontrei meus pais, notei que eles tinham também esses círculos, mas ainda mais que o meu amigo, e mais profundos. Como não sou tão bobo, finalmente percebi a lógica disso. Eram pessoas mais próximas, comecei a comparar a quantidade dos círculos de cada um com coisas sobre eles, até que cheguei no ponto: Grau de conhecimento sobre a pessoa.
Depois de meses aceitando e até mesmo ignorando esse curioso caso que agora afetava minha vida, tentei achar alguma utilidade boa para isso. Comecei a participar de comunidades de ajuda, prevenção ao suicídio, coisas assim. Na minha cabeça, se eu tivesse essa vantagem de saber o quanto eu já sabia sobre cada pessoa que estava em um caso perigoso, junto com minha tendência a ajudar e conversar bem, poderia lidar melhor com cada um se baseando nessa margem. Se eu já enxergasse fulano com vários círculos depois de algumas conversas, saberia que tenho bastante informação para trabalhar, e poderia ajudar e dar conselhos com base no que sabia, porque era tudo verdade. Como uma ‘’confirmação’’ de que estava tudo certo.
Tudo ia muito bem, me convenci de que isso era mais uma bênção que só um evento aleatório. Até que involuntariamente comecei a usar isso na minha vida. Nos meus amigos. Nos meus parentes. Havia essa amiga, Vamos chama-la de Ms. Ms e eu éramos amigos de um bom tempo já, conversámos muito e se dávamos incrivelmente bem. Depois que ganhei esses olhos (É como passei a chamar minha habilidade), percebi que ela tinha 3 camadas. Fiquei contente até, como já disse antes, foi uma confirmação de quão ‘’confiável’’ eu era.
Não.
3 camadas, pelo que observei com o tempo, é o nível ‘’amigo’’. Na vida, 95% das pessoas com quem você faz amizade serão amigos, e somente 5% serão os amigos mesmo. Aquelas pessoas com quem você pensa em chamar e conversar, que você vai além do small talk ou de conversa oportuna em um momento social, aquela pessoa que você confia. Esses são os 5%.Sinceramente, nunca tivesse interesse algum em pessoas que não fossem dos cinco. É como se elas só enchessem um vazio que precisava ser preenchido porque a sociedade manda você ter muita gente e interagir o tempo todo. É como se tudo que fizesse com essas pessoas fosse artificial, mais como um trabalho que como algo genuíno e voluntário. Acontece que, eu considerava Ms. Uma pessoa do grupo de amigões, baseado em vários dias e conversas pessoais, etc. Nos entendíamos, assim como era com algumas outras poucas pessoas, que ao contrário dela, tinham mais camadas. Toda vez que aparentemente atingíamos um nível diferente, seja falando sobre um problema ou história, pessoalmente, nada mudava. Eu ainda enxergava as 3 camadas.
Confesso que tenho um certo vício nisso. Em ser apreciado, confiado, importante. Agora, percebo que grande parte das coisas que eu fazia eram pela recompensa, onde eu no fundo não dava a mínima para a pessoa em si, só pela sensação, a gratidão. E enquanto por um lado isso não faz diferença para a pessoa, pois tecnicamente ainda sou algo positivo para elas ajudando, o caso muda quando sinto que perco essa importância. A complacência imediata para o que der e vier se converte lentamente em apatia, pois sendo franco, aquele indivíduo não me servia mais.
Com o tempo isso começou a acontecer com Ms, pois fiquei cheio de nada nunca acontecer, e esse mistério de aparentemente estarmos bem mas meus olhos dizerem o contrário. Mas deixamos essa história de lado por enquanto.
Graças aos olhos, também comecei a detectar mentiras ou irregularidades nas pessoas quando conversávamos. Em algumas ocasiões, em algum momento quando me falavam algo mais pessoal, considerado uma camada mais funda que o normal, nada mudava. Eu metodicamente categorizei cada tipo de informação de acordo com seu grau de camada visível, baseado em quando tal informação foi contada e a mudança imediata de camada na pessoa. E por causa disso, segundo o padrão, nessas situações seus círculos deveriam imediatamente aprofundar em um nível, pois havíamos atingido uma nova fase. Mas não, não acontecia. Então ou era mentira, ou irrelevante. Mas aí é que está! Ela contava como se fosse algo importante. O que indicava segundas intenções, e quase nunca estive errado sobre isso.
Meu pai. Ele só tinha quatro camadas. Isso significa conhecimento sobre gostos e hábitos, e opiniões. Mas isso é superficial, não pode ser o máximo que você tem com seus pais. Deus, eu tinha amigos dos 95 mais profundos que ele! Comecei a me questionar se era porque mentia muito para mim (ou nós, como família) ou se simplesmente não falava nada mesmo. Comecei a puxar assunto com o velho, querer saber das coisas, virar ‘’amigo’’ mesmo dele. Nada. Certo dia, enquanto ficávamos sentados na varanda tomando café e conversando, tentei me puxar para as histórias de família, infância, até conhecer minha mãe, etc. E ele falou bastante coisa, a maioria eu já sabia, mas absolutamente nada aconteceu. Eu queria saber o que havia de errado com ele. Eu queria saber o que me levaria a chegar mais fundo nele. E eu nunca percebi o quanto errado eu estava agindo, como não me importava com ninguém, como minhas buscas eram egoístas e sem empatia pelos outros. Decidi olhar seu celular, o bobão usava a mesma senha para absolutamente tudo. Entrei no seu e-mail, abri seu whatsapp até as primeiras conversas do telefone, Messenger, tudo. Ele falava com muita gente. A grande maioria eu não faço ideia de quem sejam. Descobri que ele tem aquele hábito de tiozão grotesco que mexe no facebook, fica indo em privado de mulheres novas e atraentes, falando aquelas frases horríveis de cantada como se fosse um iludido galanteador dos anos 90. Minha espinha doía lendo aquela vergonha alheia, nem cheguei a pensar na parte de isso de certa forma ser traição.
‘’Como está o garoto?’’‘’Passou direto, esperto como o pai’’
‘’ainda bem que ele puxou a cabeça, não a cara! Hahahha’’
‘’enfim, quando você vem ver ele?’’
O desgraçado tinha outra família escondido. Eu não faço ideia como, vasculhei um pouco o perfil dessa mulher e aparentemente o filho dela tem uns 7 anos. Isso significa que foi durante o casamento, na metade dele, na verdade. Eu só queria ver ele pessoalmente naquela hora. Eu queria contar camada por camada, quantas haviam surgido naquele filho da puta. SETE. SETE. Ele achou que eu estava drogado quando comecei a olhar para o peito dele e contar em voz alta, olhos arregalados e uma cara de maníaco, até ir para o quarto. Aquilo era extremamente bem escondido e pessoal. Se fosse um mal entendido não poderia passar de sei lá, cinco. Mas não, Sete camadas. Eu havia acertado seu ponto fraco, e iria fazer bom uso dele.
Depois de muito tempo isolado com meus pensamentos de o que diabos eu iria fazer, comecei a revirar minhas memórias, analisar a tabela de camadas e como nada ali batia, como tudo provavelmente era mentira ou irrelevante, comparado a tudo que ocorria por baixo dos panos.Lembrei das vezes que os dois discutiam, e um certo evento se destacou dos outros. Enquanto o pai berrava sobre algum motivo de discussão imbecilmente aleatório como de costume, minha mãe, mais exaltada que o normal, solta ‘’Vai voltar a fazer igual antes? Tu começa de novo que vai direto para a cadeia’’. Eu não estava exatamente no local, para ser sincero estava no meu quarto, jogando, pouco me fodendo para ambos. Aquilo deu um click na minha cabeça, eu queria cavar mais a fundo isso. Então meu alvo era a mãe. Resumindo a história, ele tinha o excelente hábito de agredir. Principalmente quando bebia, algo que acontecia quando as vendas não iam bem.
Eu denunciei ele. O miserável me expulsou de casa antes de ir preso, obviamente. Arrumei um teto graças a alguns amigos e estava me virando, valeu a pena. Fiz testemunho, disse o que ouvi, forcei ela a dizer a verdade. Não foi difícil, mãe nunca foi a pessoa com grande QI. Na verdade eu estava fazendo um favor a ela se livrando desse lixo humano. Mas não, não estava pronto ainda. Eu conhecia alguém que estava preso por aqui também. O cara foi uma das pessoas que ‘’ajudei’’ nos tempos sombrios nos grupos de ajuda. Ele era um drogado, roubava qualquer pessoa sem dar a mínima, e para não ter peso na consciência, visitava o centro para contar que ‘’errou’’ e se arrependia. Pra mim era só uma desculpa para não se sentir um completo filho da puta, o que é ainda mais egoísta que roubar. Enfim, acontece que ele se dava muito bem comigo, afinal ele só queria algúem para ouvir suas lamentações e ir embora antes da polícia aparecer (não que eu tenha alguma vez chamado).
Como ele terminou preso? Foi pego, obviamente. Mas teve a feliz ideia de tentar bater no policial para fugir, e obviamente piorou mais ainda. Acontece que esse cidadão e meu velho iriam ficar temporariamente presos juntos, quem diria? Eu fui visitar esse velho amigo, dar umas risadas e tirar ele um pouco desse ambiente decadente sem esperança. E claro, pedir um favor. Contei para ele tudo que meu pai fez, com alguns comoventes detalhes, e conforme ele ia se identificando com a situação e falando que passou por algo parecido. Opa, mais uma camada! Fui moldando a história para ficar mais coincidente com a dele, afinal vale tudo para se ter apreciação e lealdade. Disse para ele dar uma surra no velho. Era o que eu mais queria fazer mas não era capaz. Ele disse para não se preocupar, a ‘’vida’’ iria dar o troco. Depois disso eu já sabia que meu trabalho estava completo.
Ele _Morreu_. Ele bateu tanto no velho que ele morreu. Hemorragia interna, sei lá. Algo importante (pra ele só) parou de funcionar. A parte boa foi o feriado que ganhei com isso. Consegui ganhar algumas boas partidas no Rocket League. Mãe, depois de me deserdar na família por aparentemente ter destruído a mesma (curiosamente ela _perdeu_ camadas depois disso), ligou pedindo se eu não iria. Respondi que precisava de 6 camadas para atender o pedido e desliguei.
Percebe como todo esse negócio foi saindo do controle? Eu estava me tornando um monstro, fissurado nessa maldição de camadas, saber demais e ser extremamente egoísta. Mas tristemente não foi o fim. Eu ainda tinha uma vida meio que andando. Tinha muitos amigos genéricos com quem poderia as vezes contar.
Conheci esse cara novo que começou a trabalhar comigo no setor de automação, e depois de umas semanas juntos, no demos muito bem. Era alguém muito quieto, notei que praticamente só falava _mesmo_ comigo. Trabalhei bastante em me aprofundar nele. Queria saber qual terrível falha ele tinha. Todos tem. Achar elas era meu hobby. Depois de um bom tempo nisso, me conta que fez a cagada de trair a namorada, com quem muito provavelmente iria casar. Eles terminaram por isso, mas já estava naquela putaria de ‘’estou brava mas quero voltar’’, sabe? Ah, mas que ironia. Mas um adúltero. Mas como esse era gente boa no geral, decidi só ‘’ajudar’’ ele mais uma vez. Voltar não era uma boa ideia, nunca iria se perdoar, iria lembrar do acontecido toda vez que olhasse para ela. O melhor seria partir para outra, e fazer ela achar isso também o certo. Claro, com um empurrãozinho. Fomos em um clube para maiores. Bebi pra krl, nem lembro direito como voltei. Mas não fiquei bobo antes de completar a missão: ele acabou ficando com 3, pegou ali mesmo, uma zona sem tamanho. Obviamente acabaram gravando, o vídeo se espalhou porque alguém saiu mandando pra geral, e virou até notícia. ‘’Noivo diz que não quer voltar fazendo vídeo com acompanhantes’’. É, foi um belo estrago. Mas ele ainda não acha que foi culpa minha, afinal foi a coisa certa. Só teve o infortúnio de sair de dentro daquele recinto.
Mas isso não ficou de graça não, ele me fez pagar, querendo ou não. Em um dia aleatório, enquanto trabalhávamos, conversando sobre nosso amigos, caímos sobre um colega em comum. Eu sempre imaginei que ele era do tipo espertalhão sacana, que é gente boa quando não custa nada mas muda se a coisa começa a custar algo para ele. Ou não pensa em ninguém quando tem chance de se dar bem, independente de se vai ferrar os outros. Nada fora do normal, estava quase no piloto automático falando com o rapaz.
‘’Mas ele é muito filha da mãe, tá pegando a Ms, e fica saindo sem pagar por aí com ela toda hora. Ainda fica com várias outras! Ele não perde uma hahaha’’
Era isso. Eu era só um otário tendo serventia. Ela me alimentava com qualquer merda para que continuasse orbitando ao redor, e ajudando. Fizemos dezenas de trabalhos de faculdade que ‘’precisavam ser entregues no dia e te contei como quem não quer nada’’ e nunca tinha tempo para fazer nada. Realmente, desse jeito não sobra tempo. Isso não iria ficar assim.
Eu lembro exatamente de como me senti naquele dia, me sentia traído, manipulado, fraco. É um grande choque quando se está muito tempo acostumado a ter tudo sobre controle. Devido a estar o tempo todo com aqueles olhos, não podia enxergar que o sacana da história era eu, não tinha nada de errado ali.
Lembro-me que ela falava muito sobre o carro. Pelo que entendi era parte muito importante da vida dela, tanto para trabalhar quanto pelo tanto de histórias que ele tinha e foi parte. Era um bom lugar para investir. Afinal, esse povo me acertava no lugar mais fraco, mentir sobre minha apreciação e importância, nada mais justo que acertar no lugar mais fraco deles também. Pesquisei bastante sobre motores, parte elétrica de carros, felizmente a internet tem conteúdo praticamente infinito, onde você aprende tudo o que quiser, basta procurar. Aprendi a superaquecer o motor. Com isso, com azar (ou sorte para mim) o carro também solta resíduos, que quando tocam alguma parte muito quente do veículo pode entrar em combustão. E para tirar o variável ‘’talvez’’, teria um pouco mais de óleo que o normal. Sem precisar de muito contexto, passei o fim de semana na casa da família dela. Durante a madrugada, depois de todo mundo beber excessivamente e desmaiar nos cantos da casa, peguei a chave do carro e fui fazer uma pequena inspeção. Preparei tudo conforme o planejado, estava tudo pronto. Já havia avisado a Ms que precisaria sair cedo no outro dia. Como combinado, de manhã já estava de pé e estávamos saindo. Todo mundo ainda dormia, ou pra ser mais exato, estava em coma alcóolico. Acho incrível como as pessoas gostam de beber tanto, só pra ficarem mais idiotas e morrer por algumas horas no dia seguinte. Enfim, ela foi para o carro, eu disse que só iria pegar a bolsa e ela já poderia ir ligando o carro.
Ouvi o motor dando a partida, os sons fora do normal e estranhos, levando a um grito de susto até chegar nos pedidos de ajuda. Com toda a pressa do mundo fui ajudar, mas já era tarde demais. O carro tinha virado um bloco gigante de carvão, e não tinha nem mesmo como pegar o extintor lá dentro. Ligamos para os bombeiros e tudo terminou ‘’bem’’. Ela parecia um cadáver. Não falava com ninguém, parecia que tinha perdido um parente. ‘’Bem feito’’ era o que eu dizia pra mim mesmo.
‘’Eu venci.’’
Até agora não sei o que eu venci. Era uma guerra? Uma disputa? O que exatamente eu ganhei com tudo isso? Sinceramente agora nada faz sentido. Se eu soubesse tudo isso, mas sendo outra pessoa, acho que iria matar ela. Mas sou eu, eu fiz tudo isso. Nas últimas semanas antes de ter um colapso mental tive alguns dias me sentindo o soberano, o rei. Havia até achado uma nova pessoa para explorar, e tinha começado a dar os primeiros passos.
Me olhei no espelho, e pela primeira vez percebi algo que esteve o tempo todo ali: Eu só tinha uma camada. O que diabos isso significa? Eu não me conheço?
Comecei a estudar sobre meditação, introspecção e coisas do tipo. Comecei a gastar horas meditando e refletindo, criei gosto por isso. Passei a entender alguns dos motivos pelos quais me sentia mal, por exemplo. Em dado momento surgiu mais uma camada. Quando cheguei a conclusão que eu iria ferrar de uma forma ou outra com a próxima pessoa também, não importasse o que acontecesse. Nessa hora percebi que realmente tinha a ver com o quanto eu me conhecia. E isso significava que eu não sabia _NADA_ sobre mim. Passei a questionar até que ponto eu me iludia das coisas que eu fazia, até onde meus ideais estavam certos. Vendo matérias sobre sociopatas, aprendi que eles também não enxergam o valor nas pessoas, elas são irrelevantes na escala emocional e afetiva. E caramba, eu estava pensando assim! Quanto mais parava para pensar mais me aprofundava nesse espiral de realização de que era uma escória para todos. Fazia reflexões e tirava conclusões sobre meus hábitos, como eu estava passando dos limites em cada situação e não tinha remorso, e em toda nova conclusão, uma camada brotava no meu peito. Eu nunca pensei que entender a mim mesmo fosse a coisa mais aterrorizante de todas.
Agora, que estou sozinho, isolado em um lugar escondido, longe de todos que afetei, espero meu fim. Não quero causar mais nada a ninguém, não quero ver suas camadas, não quero existir. E aqui chegamos ao fim, não sei quando ou onde você acabou lendo isso, mas não se preocupe, provavelmente tudo isso não vai passar de mais uma história absurda em um fórum anônimo.
Pessoas são como cebolas, quanto mais camadas tocar, mais você chora.
submitted by Dimitri_Vladvostok to rapidinhapoetica [link] [comments]


2015.11.16 21:36 apenasumbacano Carta a todos os adeptos de futebol.

Há uma coisa que une todos os portugueses, o FUTEBOL, até quem não gosta não fica indiferente ao fenomeno que é o futebol em Portugal e no mundo, é o desporto rei, nenhum desporto chega perto do futebol em termos de popularidade e na sexta-feira o futebol foi atacado em Paris, o futebol não tem religião, nem cor de pele, nem diferenças sociais, dentro de um campo de futebol somos todos iguais, e nas bancadas é igual, somos todos iguais, estamos todos ali para o mesmo, para apoiar a nossa equipa ou para assistir ao desporto que gostamos.
Eu sou PORTISTA mas nasci sem clube como nascemos todos, o meu avô era Portista, o meu pai é Portista e eu sou Portista, sou ULTRA do FCP, e ser ULTRA não é odiar os outros, é amar o meu clube, apoiar sempre e defender sempre o clube. Eu nasci e vivo a 600 quilometros de distancia do Estádio do Dragão e da cidade do Porto, por isso eu sei mais do que ninguem o que é ser descriminado por gostar de outro clube que não Benfica ou Sporting, as bocas, as ameaças, tive uma professora que dizia que eu não podia ser do FCP, que era contra-natura e que não podia ser e até comentou isso com os outros professores, que na turma dela havia um miudo do FCP e que apenas era do FCP porque era maluquinho e gostava de ser diferente..
Durante anos respondia da mesma forma que me atacavam, com insultos e ofensas, mas responder com violencia apenas trazia mais violencia e eu não gostava de ser assim, eu não gosto de discutir, gosto de debater, eu não gosto de violencia, acho que a violencia não resolve as situações, o conversar sim, eu não queria ser igual aos outros, discutir sempre aos berros, a espumarem se da boca, insultam antes o adversário do que apoiam os seus clubes, o futebol merece melhores adeptos, o futebol merece ser respeitado pelo que é, um desporto que une as pessoas e tem que ser protegido por todos os adeptos acima de qualquer clube, porque nem todos gostamos do mesmo clube, mas todos gostamos de futebol.
O meu avô ensinou-me os valores do FCP, a raça e mistica de uma cidade que tem no Futebol Clube do Porto e seu maior simbolo e marca e foi por isso e por ele que eu me tornei adepto. O FCP leva o nome da cidade do Porto a todo o mundo e é uma instituição portuguesa reconhecida e respeitada no mundo inteiro, e as pessoas do Porto e do norte em geral são o melhor que temos em Portugal.
Quem não é do FCP dificilmente percebe o porque dos Portistas idolatrarem Pinto da Costa, Pedroto, Jorge Costa, João Pinto, Gomes, Vitor Baia entre tantos outros que são simbolos do nosso clube, só nós sabemos o que significa o calcanhar do Madjer em Vienna, o golo do Ademir em 1978 ou mais recentemente o golo do Kelvin, assim como os benfiquistas percebem melhor quem foi Eusébio e a sua importancia para o futebol portugues, ou o que significou aquele golo do Luisão ao Sporting que dava um campeonato depois de 10 anos sem ganhar, depois de 10 anos na miséria, mas o FCP respondeu forte a esse campeonato e mostrou que ainda era o melhor clube em Portugal e que aquele campeonato tinha sido um engano e tinha sido perdido por culpa propria, e mostrou essa superioridade ganhando os seguintes campeonatos sem margem para duvidas.
Depois foram 3 anos com Sporting e Boavista campeões, o FCP respondeu com um FCP campeão europeu com José Mourinho. Mais uma vez o FCP responde mostrando força, um adversário forte faz-nos ser ainda mais forte.
O Benfica respondeu com Jorge Jesus e foi uma aposta ganha, o primeiro ano de JJ mostrou o verdadeiro Benfica, era aquele Benfica que o meu avô me falava que tinhamos de respeitar, senão nunca os venceriamos, um Benfica que não deixava os adversários respirar, o Benfica de Eusebio, Coluna, Aguas, Cavem, Simões, mas eu não estava preocupado com aquele campeonato, eu sabia que o FCP ia responder a altura, o FCP responde sempre a altura, nunca desiste e nunca vira a cara a luta, como cantamos todos sempre “Ninguêm Ninguêm, é melhor que nós no mundo.”
E mais uma vês o FCP apresentou-se ainda mais forte, com mais uma Liga Europa e 3 campeonatos, 3 campeonatos apenas com 1 derrota, o novo Benfica demolidor como dizia a comunicação social não teve qualquer hipotese, o FCP continou forte, abanou um pouco mas não caiu, nunca desistiu, e agora também não vai desistir, e nós como adeptos do FCP não podemos permitir que isso aconteça..
O meu avó era um homem do Porto que veio viver para o sul, e tinha orgulho em ser do norte, contava-me que chegou a ver o FCP no Campo do Lima e depois na Constituição e por fim no Estádio das Antas, falava-me do Barrigana, do Pinga, do Pedroto e da história do Cubillas, de como toda a cidade apoiava o clube e se orgulhavam de ser do FCP, deu-me a conhecer a história do clube e explicou-me o que é ser Portista. Nunca o meu avô me disse que os outros clubes eram uma merda, nem desrespeitou ninguem, nunca ouvi o meu avô insultar um adversário, e foi isso que ele me ensinou, o meu avô e o meu pai sempre me ensinaram que devemos apoiar quando o FCP joga e nunca insultar os outros, defender sempre que somos atacados mas nunca ofender o adversário, mesmo que nos ofendam, apenas ignorar, temos que manter o FCP um clube digno e com valores e respeitar o nome da instituição, já que muitas vezes partilhamos os mesmo valores dos adversários,nós apoiamos a nossa equipa e aquilo que gostamos e as outras pessoas fazem o mesmo, e temos que aceitar e respeitar a decisão de todos, sem ofender, seja quem for, equipa grande ou equipa pequena, todos merecem respeito, todos partilhamos os mesmo valores enquanto adeptos e todos queremos que o nosso clube vença.
Devemos sim atacar e criticar aqueles que não respeitam o futebol e os seus adeptos, o futebol resolvesse dentro de 4 linhas e com regras iguais para todos, não em programas de televisão que só servem para lavar a roupa suja toda em troca de audiencias, não em capas de jornais feitas a incentivar o odio pelo rival, montamos espetaculos deprimentes que envergonham todos os adeptos de futebol em troca de audiencias. O futebol merece respeito, os clubes que voces apoiam merecem respeito assim como clube que eu apoio, não por quem lá está mas pela instituição que representam.
Também aprendi que a vida é assim mesmo, nem sempre se ganha, hoje ganhamos nós, amanhã vão ganhar outros, somos adversários mas não inimigos, eu quando o FCP perde fico chateado, o que é perfeitamente normal, não quero que ninguem me diga nada, o ano passado depois de levar um saco em Munique eu fiquei derrotado.. caiu forte aquela derrota.. não mereciamos perder por aqueles numeros e por isso percebo que as outras pessoas pensem da mesma maneirae fiquem chateados com as derrotas dos clubes deles, por isso evito partir para o insulto e para a ofensa facil, eu tenho amigos Benfiquistas, familiares, colegas de trabalho, a minha propria namorada que eu amo é Benfiquista, nunca na vida eu podia insultar algo que ela gosta e apoia, eu respeito as outras pessoas todas e respeito as escolhas pessoais dessas pessoas e espero que façam o mesmo comigo.
Mas eu ser Portista não significa que seja cego nem faccioso.. eu AMO o PORTO, eu quero que o PORTO ganhe todos os jogos sempre, porque a verdadeira beleza do futebol são os golos e as vitórias, nós temos fé no nosso clube, é por isso que o Benfica estava em 8º e os adeptos não desistem, não abandonam, é por isso que o FCP recebe o Benfica campeão na ultima jornada e o Estádio do Dragão enche para apoiar o PORTO como se fosse o jogo do titulo, como se ainda houvesse hipotece de ser campeão, os adeptos nunca abandonam os seus clubes, jogadores, presidentes, dirigentes, todos vêm e vão, mas os adeptos estão lá sempre.
Mas falando do Benfica, o meu pai sempre me ensinou o porque de se respeitar o Benfica, indiferentemente de quem lá está, o SLB é a maior instituição de Portugal, é inclusive e como eles dizem bem maior que o proprio pais, é um clube que está representado nos museus do futebol de todo o mundo, tem uma história gloriosa, caiu em desgraça e agora está a recuperar. Uma das razões pelas quais os Benfiquistas não gostam do FCP é que durante 30 anos o FCP teve a sua época de gloria, começando em 1984 com a primeira final europeia do clube e sendo interrompida nestes ultimos 2 anos pelo Benfica.
O Porto durante esses anos teve sempre melhores equipas que Benfica e Sporting, ganhava porque era superior e isso ninguem pode contrariar, podem falar no ano do Vitor Pereira mas qualquer verdadeiro adepto de futebol sabe que o VP sabia o que fazia, e que os 2 campeonatos que ganharam não foram obra do acaso, ele sabia o que estava a fazer e tinha uma tactita bem definida.
O FCP de Mourinho dominou a europa durante 2 anos com jogadores portugueses vindos de Setubal, Leiria, Espinho, Varzim, Salgueiros etc.. um grupo de pessoas iguais a nós, unidos para fazerem do FCP o melhor clube do mundo pela segunda vez em Tokyo, pessoas com raça que sabiam que para serem melhores que as outras equipas bastava esforçarem se mais, trabalharem em equipa e respeitar o simbolo que tem ao peito.
Eu não vivi na decada de 60, vivi agora, tenho 36 anos, vi o meu clube ganhar todas as competições e ser estrilhaçado pela imprensa nacional enquanto no estrangeiro era elogiado a todos os niveis, o meu avô viu as finais do Benfica, até tinha uma garrafa de vinho comemorativa do bi-campeão europeu Benfica, tinha fotos com Eusebio, tinha recortes de jornais sobre vitórias do Porto na europa altamente elogiadas pelos jornais da época, inclusive A Bola, as pessoas iam ao futebol sem medo, sem policiamento, nunca havia confusão.
Hoje em dia o futebol está melhor, mas nós como adeptos estamos piores, bem piores, irracionais, violentos, temos que nos acalmar, parar e conversar e levarmos isto para a frente.. entre todos..
O futebol na sexta feira foi atacado, nós temos que utilizar o futebol para promover a paz, e para isso temos que fazer as pazes, adeptos simples, adeptos organizados, grupos ultras de todos os clube, temos que deixar a violencia de lado e promover a paz, todos ficamos a ganhar com isso, e lutamos todos juntos por um futebol melhor cada um da sua cor e apoiando o seu clube., por um futebol melhor, por todos nós.
Mas também eu sou apenas um bacano, a minha opinião vale o que vale.. ou seja nada..
preciso de uma cerveja.. sagres ou super bock?.. tanto faz.. mas prefiro Super Bock.
submitted by apenasumbacano to portugal [link] [comments]


Buena Vista Social Club - Chan Chan (Official Audio) Pagode Social - Vai Rolar AS 10 NAMORADAS MAIS PSICOPATAS - YouTube Buena Vista Social Club - Eliades Ochoa & Barbarito Torres ... THIS IS WHY I HATE ANTISOCIAL SOCIAL CLUB ESTAS SÃO AS NAMORADAS DOS JOGADORES DO FC PORTO !! / FC ... Club Social Recheado Buena Vista Social Club - Chan Chan (Official Video) - YouTube Buena Vista Social Club - Cuba Habana - YouTube Namoradas e Esposas dos Jogadores do Flamengo 2020

O Clube das Ex-Namoradas - 구여친클럽 - Assista episódios ...

  1. Buena Vista Social Club - Chan Chan (Official Audio)
  2. Pagode Social - Vai Rolar
  3. AS 10 NAMORADAS MAIS PSICOPATAS - YouTube
  4. Buena Vista Social Club - Eliades Ochoa & Barbarito Torres ...
  5. THIS IS WHY I HATE ANTISOCIAL SOCIAL CLUB
  6. ESTAS SÃO AS NAMORADAS DOS JOGADORES DO FC PORTO !! / FC ...
  7. Club Social Recheado
  8. Buena Vista Social Club - Chan Chan (Official Video) - YouTube
  9. Buena Vista Social Club - Cuba Habana - YouTube
  10. Namoradas e Esposas dos Jogadores do Flamengo 2020

TUDO SOBRE O LIVRO AQUI: https://goo.gl/gzNxkd Faça parte do nosso grupo do Facebook: https://www.facebook.com/groups/vocesabiagrupo ---SIGA NAS NOSSAS REDES... FC PORTO É CAMPEÃO !!! SIGAM O MEU INSTA PARA A FOTO #OCAMPEAOVOLTOU - https://www.instagram.com/ajunior16/ @ajunior16 NOVO CANAL- https://www.youtube.com/ch... Samba Social Clube Nova Geração - Duration: 1:00:25. Samuel Fernandes 917,926 views. 1:00:25. Turma do Pagode - Vai Rolar - Esse É o Clima - Ao Vivo - Duration: 3:10. Click here to subscribe to World Circuit - https://WorldCircuit.lnk.to/WCYouTubeID Buy on CD/LP, download or stream now: https://worldcircuit.lnk.to/BuenaVis... Novo filme da Giovanni+Draftfcb para divulgar o lançamento do Club Social Recheado, uma nova versão do biscoito que traz uma combinação de duas lâminas do tr... Chan Chan video made from the Wim Wenders documentary 'Buena Vista Social Club' Click here to subscribe to World Circuit - http://smarturl.it/sub2worldcircui... How Antisocial Social Club Became Antisocial Social Club (The Real Story) 2018 - Duration: 6:37. PUSH PRODUCT 285,798 views. 6:37. Anti Social Social Club: Don't Believe The Hype - Duration: 3:55. #Flamengo #Flamengo2020 #Namoradas Namoradas e Esposas Dos Jogadores do Flamengo 2020. ... Goiás Esporte Clube 1,506,052 views. 9:08. ... Social Football 437,646 views. Buen tema de esté memorable grupo musical cubano que reconoció en su conjunto a lo mas selecto de la música popular cubana. No encontré el tema en la red asi... Jan 29, 2016 La Diosa Presents: Elides Ochoa and Barbarito Torres, both known for their musical performances with the Buena Vista Social Club and so much mor...